‘Teoria da conspiração’

Olavo de Carvalho

“‘Teoria da conspiração’ é um termo geralmente usado por pessoas que não sabem o que é uma teoria, nem uma conspiração, nem muito menos uma teoria da conspiração.
Por exemplo, usaram esse termo para qualificar as primeiras coisas que escrevi sobre o Foro de São Paulo, nas quais não havia teoria nenhuma, apenas uma notícia de extrema importância omitida por toda a mídia nacional, e nas quais aliás não se falava de nenhuma conspiração, que subentende segredo, e sim de reuniões públicas com atas oficias publicadas na internet. Foram os próprios luminares da mídia — aqueles que me acusavam de ‘teórico da conspiração’ — que, escondendo a notícia, transformaram em segredo o que não o era originalmente e deram ares de conspiração a um fenômeno totalmente distinto. Conspiraram para fazer isso ou foi apenas uma conjunção fortuita de inépcias, cagaços e expectativas imaginárias? Não tenho a menor idéia.”

Ver o post original

Anúncios

Hoje faz 80 anos da última aparição de N.S das Graças em PE que profetiza sobre o comunismo no Brasil

Pe. Augusto Bezerra

Rio de Janeiro – 31 ago, 2016 – Hoje, dia em que o governo petista foi tirado definitivamente do poder, completam-se 80 anos da última das aparições de Nossa Senhora das Graças em Pernambuco para avisar à nação brasileira da implantação do comunismo no país diante da qual pediu que rezássemos, fizéssemos jejum, oração, penitência e recitássemos o rosário. Deixo aqui um testemunho completo do Padre Marcelo Tenório das aparições:

Caríssimos filhos,

Salve Maria!

Ponho aqui, de forma mais concisa, o relato das Aparições de Nossa Senhora das Graças no Sítio Guarda, em Cimbres, Pernambuco. Das duas videntes, uma morreu logo, mas a outra, Ir. Adélia, conheço bem. Sou ex- aluno do Colégio das Damas Cristãs e estive muitas vezes com ela, em bons colóquios. Simples, lúcida e extremamente humilde. Sua vida foi fugir dos holofotes. Guardou silêncio sobre tudo o que tinha ocorrido. Quando noviça, outras religiosas da época…

Ver o post original 3.811 mais palavras

O direito de defesa e a Inquisição:

Olavo de Carvalho

“A Santa Inquisição, que a cultura pop do esquerdismo consagrou como o símbolo máximo da prepotência repressora, chamava-se “inquisição” precisamente porque inquiria, isto é, fazia perguntas e deixava o acusado responder. O termo “inquisitório” opunha-se a “acusatório”. No costume processual dos séculos bárbaros, a acusação reforçada por um juramento e, se preciso, sustentada em duelo, bastava como garantia legal para enviar o réu para o outro mundo. A Inquisição proibiu o método acusatório, fazendo do direito de defesa uma ‘conditio sine qua non’ para a racionalidade da prova.”

Ver o post original

Apenas mais um

Fui apenas mais um entre os milhões de brasileiros doutrinados pelas cartilhas desse filho-da-puta (com a devida vênia a profissionais que jamais abusam de seus clientes – pelo contrário, são geralmente abusadas).

Saí do ensino médio em um dito colégio católico e tradicional a mais imperfeita bosta pomposa, composto, não sei se igualitariamente, de ateísmo e comunismo; mas sei melhor que ninguém o que se passou para Deus, não sei nem bem por quê, me livrar do profundo vazio existencial que me restara, herança maldita dos anos da infância.

Como o eu que eu era há ainda uns milhões. Milhões sem semelhante sorte, permanecendo cativos de uma ideologia-de-força com a qual lhes vestiram seus próprios tutores. E houve, sim, porque sempre os houve, porque sempre os há, também muitos que, com pior fortuna, preferiram antes abraçar o Nada – como eu preferiria – e não mais estão presentes para relatar suas histórias.

http://www.escolasempartido.org/livros-didaticos/316-uma-geracao-de-doutrinados

Medida de tempo

Olavo de Carvalho

“Imaginem um homem tão primitivo, tão selvagem, que não tivesse atinado ainda com os ciclos solares e lunares, cuja única medida de tempo fossem portanto os dias e as noites. As memórias desse homem seriam uma confusão de imagens sem ligação nem nexo, coeridas tão somente por alguma associação de idéias fortuita, sem ordem temporal, sem ao menos um senso de identidade contínua.
“Mutatis mutandis”, assim vive o homem de hoje, tão orgulhoso do seu estado civilizado, quando não participa do ciclo litúrgico da Igreja, que é um condensado da existência humana, e conhece apenas o tempo linear dos calendários, sem nem mesmo lembrar que ele não passa da numeração do tempo litúrgico.
Quem assiste à Missa todos os domingos sabe que o tempo linear não é tudo, que ele se entrelaça com uma ordem cíclica na qual os vários acontecimentos de uma vida – a vida pessoal e a…

Ver o post original 177 mais palavras

Um livro obrigatório para conhecer a Idade Média e desfazer as mentiras que nos ensinaram

A Idade Média foi o período em que foram assentados os elementos cruciais para a formação da civilização ocidental. Durante esses cerca de mil anos da história, os povos do continente europeu assis…

Fonte: Um livro obrigatório para conhecer a Idade Média e desfazer as mentiras que nos ensinaram

Estado Islâmico divulga vídeo com ameaças reais às capitais europeias

Em vídeo divulgado essa semana, o Estado Islâmico faz novas ameaças reais e concretas de ataques às principais capitais europeias, incluindo Londres, Berlin e Roma. No vídeo, que contém imagens de …

Fonte: Estado Islâmico divulga vídeo com ameaças reais às capitais europeias