Como a KGB atuava no Brasil em pleno regime militar

Terça Livre

collage

Em plena ditadura militar, na década de 70, um homem em crise de consciência resolve dar com a língua nos dentes e entregar todo o esquema de colaboração entre a União Soviética e o Partido Comunista Brasileiro. A reportagem que vai abaixo é a reprodução do que foi publicado no Jornal do Brasil de 3 de dezembro de 1972. Nela, nosso desertor identifica-se como “Agente Carlos” e, dias depois, apresentando provas documentais, revela sua identidade. Seu nome é Adauto Alves dos Santos, jornalista, membro do Comitê Central do PCB e figura muito próxima a Luis Carlos Prestes.

Adauto entrega um verdadeiro dossiê à imprensa, com documentos, nomes e a descrição detalhada das atividades ilegais de estrangeiros no Brasil, ou seja, agentes da KGB vivendo e circulando no Rio de Janeiro em pleno regime militar. Relata em detalhes como os comunistas eram financiados em grandes quantidades de dólar. O testemunho…

Ver o post original 4.627 mais palavras

Anúncios