Opinólatras anônimos

O blog de Flavio Quintela

Dizem que opinião é como uma certa parte do corpo, aquela com que sentamos: cada um tem a sua. Alguém que olhe para a definição simples da palavra, encontrada nos dicionários, poderá concordar com este dito popular. No entanto, se considerarmos uma certa classificação para as opiniões – fundamentadas ou ilógicas, por exemplo –, ficará claro que essa entidade pseudo-intelectual que os opinólatras têm a respeito de tudo não passa de um fenômeno moderno, contemporâneo às redes sociais, de difusão desenfreada da idiotice.

No mundo de apenas vinte anos atrás, difundir as opiniões próprias sobre qualquer assunto era privilégio de pessoas com acesso à mídia impressa, radiofônica ou televisiva. No mundo de hoje, as redes sociais dão espaço a qualquer um que deseje expor seus pensamentos, e geralmente o alcance desta exposição é diretamente proporcional à presença midiática do sujeito; ou, traduzindo de maneira mais simples, idiotas famosos espalham muito…

Ver o post original 517 mais palavras

Anúncios