Mulher de 62 anos reage e mata dois supostos ladrões em Anápolis

Nota: Agora que o Estado já lhe tomou os meios de se defender, à vontade estão os demais marginais para saldar as intenções dos mortos.

 

Sebastião Montalvão Em Goiânia

 

Uma mulher de 62 anos matou a tiros dois supostos ladrões que invadiram o estabelecimento dela na noite de sexta (dia 27), na cidade de Anápolis (54 km de Goiânia). Após efetuar os três disparos fatais, a comerciante Vanda Lemos acionou e aguardou a chegada da Polícia Militar para relatar o incidente. "Ela contou o que havia acontecido e relatou que atirou para se defender", disse o capitão da PM, Carlos Augusto Machado.


Wesley Fernando da Costa, 18, e Luciano Alves Carvalho, 28, morreram no local. Segundo informações da Polícia Militar, testemunhas disseram que os dois eram clientes do estabelecimento e conheciam a rotina de Vanda, que é viúva, morava sozinha e fechava as portas sempre no mesmo horário.


Por ter se apresentado espontaneamente, Vanda não foi presa. Depois de falar com a polícia, segundo os vizinhos, ela deixou a casa e tomou rumo ignorado. O bar onde aconteceram os homicídios, localizado no setor JK, ficou o dia todo fechado. Os vizinhos estão chocados com o acontecido.


"Ouvimos três tiros. Só depois ficamos sabendo do que se tratava e de que os ladrões estavam mortos. É uma situação difícil, mas acho que ela fez o certo. Se ela não os matasse, poderia ter sido morta. A insegurança deixa todo mundo assustado", afirmou um vizinho que pediu para não ter seu nome revelado.

A Polícia Civil instaurou inquérito para apurar o caso. Inicialmente, o duplo homicídio está tratado como uma situação de legítima defesa, mas a acusada também pode responder processo por porte ilegal de arma, já que ela não possuía registro do revólver calibre 38 que usou na reação. A arma foi apreendida pela polícia.

A delegada responsável pelo caso, Aline Soares Ribeiro, informou que é convincente a versão de legítima defesa, mas que deve indiciar a comerciante por porte de arma. A acusação de duplo homicídio deverá ficar a cargo do Ministério Público que se posicionará após o encerramento das investigações.


Os dois rapazes mortos estavam armados e tinham luvas cirúrgicas nas mãos. Também portavam cordas e algemas. "O que queremos saber agora é qual era a intenção deles. Porque levavam esses materiais? Inicialmente poderia ser só roubar, mas não descartamos possibilidade de intenção de abuso sexual ou a prática de outro tipo de crime", afirmou a delegada.

Anúncios